segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Brisas

- As brisas, será que passam pelos becos ? Ou serão os becos que não deixam as brisas passar ? Sinceramente é o ar da brisa que preciso para viver, para encontrar e experimentar o suave perfume da flor que liberta os sentidos de quem adormece no crepúsculo da confusão, de onde se esconde no colo da fantasia, ansiando pela aurora fascinante da redescoberta da sua verdade então envolta nas brisas inebriantes dos becos do dito inevitável Amor !

- A brisa da aurora deambula livremente, sem grilhetas ou grilhões, por entre as frágeis paredes dos becos. Passa-as melifluamente, sorrindo suavemente para os seus cantos e recantos escuros, cantando e encantando quem com ela se cruza.
Fonte da vida, guardiã da felicidade eterna, lança feitiços perfumados de amor mágico, esquecendo-se que ela própria apenas a ELE pertence.

Sem comentários: