quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Ser Diferente

Também eu sou diferente, não especial, mas simplesmente diferente. Desde sempre que assim me sinto ... viajante intemporal de um destino único, de uma aventura sem igual entre tantas outras.
Se gosto de ser diferente, perguntas tu ?
Sim, gosto !
Se sou feliz assim ?
Muitas vezes. Mas são inúmeras as alturas em que sofro e choro. Incompreendida num mundo no qual imperam o materialismo, as convenções, o moralismo, a hipocrisia ! A razão e não o coração. O corpo e não a alma. A aparência e não a essência.
Entristece-me saber que pertencemos a uma sociedade transformada num mercado de tédio, sem poesia e sensibilidade, em que somos constantemente avaliados pela marca da embalagem e não pela qualidade do conteúdo.
E por isso viajo para bem longe ... viajo pela arte de ler. A realidade é dolorosa e imperfeita e magoa, mesmo quando, por instantes, nos parece um sonho. Descobri então que nos livros está tudo o que existe, muitas vezes em cores mais autênticas, e sem a dor verídica de tudo o que realmente existe.
Mas ainda assim, e apesar das lágrimas vertidas, nunca deixarei de amar as coisas mais simples; de fazer de cada aurora um momento de meditação; de considerar o orvalho da manhã como pérolas anónimas que por instantes aparecem e logo se dissipam, sendo apenas notados pelos seres sensíveis e até de despedir-me da Lua como quem se despede de uma amiga.
Enfim, nunca deixarei de ser eterna sonhadora, poetisa da vida e arquitecta de belos castelos no ar.

Sem comentários: